Análise de Sistemas
Banco de Dados
Computação Gráfica
Diversos
Internet
Lógica
Programação
Redes
Computação
Informática Básica
FrameWorks
AUDITORIA DE SISTEMAS ELETRONICOS
Produtos
Produtos

Pesquisar
PHP-GENERATOR

AUDITORIA DE SISTEMAS ELETRONICOS

Como vocês querem que os outros lhes façam, façam também vocês a eles.

RMFAIS

AUDITORIA DE SISTEMAS ELETRONICOS

A auditoria de um sistema eletrônico consiste em um exame sistemático e detalhado do funcionamento deste sistema afim de apurar irregularidades ou sugerir melhorias. Dentre as diversas técnicas de auditoria que existem para esse fim, destacam-se:

 

Comparação;

Testes de consistência e razoabilidade;

Test-Deck;

ITF (integrated Test Facility);

Mapping/Tracing;

Simulação paralela;

Análise de Log-Accounting;

Rastreamento de programas;

Análise de código fonte;

SCARF

BCSE

 

A comparação é uma das técnicas mais simples que, conforme o próprio nome já sugere, procura comparar dados do sistema com dados levantados pelo auditor. Um exemplo disso, seria a verificação da existência ou não, no almoxarifado, de produtos cadastrados ou baixados no controle de estoque, existência de credores de pagamentos lançados no controle de contas a pagar, etc.

 

Testes de consistência e razoabilidade consistem na verificação da integridade do sistema quando ao cadastramento de dados, no sentido de que este não permita o registro indevido de informações. Exemplo: cadastramento de datas inválidas, CPF inválido, CNPJ inválido, etc.

 

Ao utilizar a técnica Test-Deck, o auditor prepara uma massa de dados e alimenta o sistema com esses dados, verificando se o resultado fornecido pelo sistema é o esperado. Como exemplo disso, poderiam ser efetuados lançamentos contábeis para verificar se o cálculo do saldo feito pelo sistema confere com o cálculo feito pelo auditor.

 

A técnica ITF(integrated Test Facility), refere-se a integração de dados fictícios ao processamento normal do sistema, promovendo a interação desses dados com dados já armazenados, como exemplo teria-se a criação de transações para um entidade inventada pelo auditor.

 

Uma auditoria realizada com Mapping/Tracing, nada mais é do que a utilização de programas especializados em fazer o mapeamento do processamento de dados realizado pelo sistema da empresa. Nesse processo o objetivo é saber a seqüência das instruções executadas, rotinas ou programas que não foram executados, identificação de rotinas que consomem mais tempo da CPU, etc.

 

Simulação paralela é uma técnica de auditoria onde se utiliza um sistema que realize o mesmo processamento do sistema usado pela empresa auditada, alimentando-o com os dados da empresa e comparando-se os relatórios de resultados.

 

Com o objetivo de se detectar fraudes ou operações indevidas praticadas por usuários de um sistema, pode-se utilizar a técnica análise de Log-Accounting, um arquivo que contém o histórico das ações de cada usuário no sistema, com registro detalhado de cada operação, dia e hora em que foram praticadas.

 

Um rastreamento de programas, pode ser útil na identificação de rotinas ou módulos fraudulentos implantados junto ao sistema com fins espúrios. Nos atuais sistemas que operam de forma on line, essa técnica pode ser empregada na detecção de programas espiões utilizados para roubo de informações.

 

A análise de código fonte visa identificar fraudes cometidas por programadores, onde investiga-se alterações, no código fonte de um programa, que poderiam levar a um processamento de dados vicioso com fins ilícitos. Com o crescimento de sistemas open-source (código fonte aberto), está técnica vem sendo cada vez mais empregada.

 

SCARF é uma técnica onde se faz mapeamento estatístico para identificação de irregularidades, muito utilizada por instituições financeiras como bancos. Consiste na análise do registro de ações dos usuários de um sistema com o objetivo de identificar se este está efetuando transações que fogem as suas práticas cotidianas. Exemplo: saque em uma conta com valor muito acima ao da média, saques realizados em regiões longínquas num curto intervalo de tempo, etc.

 

A técnica BCSE é semelhante ao Test-Deck, diferenciando-se pelo fator de ser aplicada na fase de desenvolvimento de um sistema, objetivando melhoria da qualidade e não apuração de fraudes.

 

Um boa auditoria não depende apenas das técnicas, mas da capacidade do auditor ou da equipe de auditores em aplica-las. Este texto trata apenas alguns aspectos da auditoria de sistemas eletrônicos, um estudo mais detalhado é recomendável.

 

 

ATIVIDADES

 

1)                 Cite três exemplos da técnica “comparação”.

2)                 Cite três exemplos da técnica “Testes de consistência e razoabilidade”.

3)                 Cite três exemplos da técnica “SCARF”.

4)                 Qual a diferença entre “análise de código fonte” e “análise de Log-Acconting”?

5)                 Qual a diferença entre Test-Deck e BCSE?

 

Artigo redigido em Outubro de 2009.

 

Autor: PROF. RONI MÁRCIO FAIS
Formação: Bacharel em Ciência da Computação e Especialista em Administração, Supervisão e Orientação Educacional. Professor de cursos técnicos profissionalizantes do Estado do Paraná.

 

Todos os direitos reservados a www.rmfais.com


WebMaster: PROFESSOR RONI MARCIO FAIS
Formação: Bacharel em Ciência da Computação e Especialista em Administração, Supervisão e Orientação Educacional
E-mail: rmfais@yahoo.com.br


Artigos


JAVASCRIPT - LIMITANDO QUANTIDADE DE CARACTERES DE UMA TEXTAREA

Todos sao iguais, resguardado o direito de ser diferente.

MIT APP INVENTOR 2 - PARTE02 - CRIAÇÃO DE APP NATIVO

Neste tutorial será utilizado a versão em inglês do MIT APP INVENTOR2.

Converter página HTML para APK

Transforme sua página HTML em APP sem complicação.

MIT APP INVENTOR 2 - PARTE03 - CRIAÇÃO DE APP HÍBRIDO

Neste tutorial será utilizado a versão em português do MIT APP INVENTOR2.

MIT APP INVENTOR 2 - PARTE01 - APRESENTAÇÃO

Uma excelente ferramenta para programadores e não programadores.

TIPOS DE ERROS DE PROGRAMAÇÃO

Sonha e serás livre de espírito... luta e serás livre na vida. ( Che Guevara)

Responsividade e Design Responsivo

"A arma mais poderosa do opressor é a mente do oprimido” (Steve Biko)